Crédito das fotos: Karen R. Igari

Crédito das fotos: Karen R. Igari

quinta-feira, 24 de março de 2016

Como tomar a melhor decisão?

A mente sempre pede por segurança, ou seja, um lugar seguro, uma situação segura, pessoas que ofereçam segurança. No entanto, para garantir essa zona de conforto, a mente passa a agir como uma louca. É verdade! Cria situações com uma boa dose de terrorismo, induz às emoções corrosivas, fantasia reações alheias, e tudo isso para não colocar a segurança em risco. Agora eu pergunto: “Tem coisa mais paradoxal do que essa, de uma mente que para garantir a segurança, é completamente insana?! Dá pra confiar nela?”. E a resposta é bem clara: “Definitivamente, não!”.

A melhor guiadora é a nossa voz interior. Alguns chamam de intuição, outros, de sexto sentido; enfim, não importa a nomenclatura, mas, sim, acreditar que é essa voz que nos orientará e sem nos sabotar.

O coração também não costuma ser um bom orientador. Movido pela emoção, em alguns casos, ele tende a ter um grau de miopia, impedindo-nos de enxergar até mesmo aquilo que está bem no nosso nariz. Outras vezes, induzido pela raiva, inveja ou ciúmes, pode nos levar a sermos bem injustos ou céticos demais.

Agora, como saber quem está falando naquele exato momento: se nossa mente, nosso coração ou nossa voz interior? Bom, sabe aquele ditado “A pressa é inimiga da perfeição”?! Pois é. Uma forma bem legal é procurar manter a calma, inspirando e expirando tranquilamente, de modo que a mente vá se aquietando um pouco e as emoções, assentando. Estilo uma meditação.

Relaxe bem e depois de ter feito isso, observe se a voz continua a falar lá dentro. Geralmente, quando é maluquice da nossa mente, após esse processo de centramento, de equilíbrio, a voz some por um tempo, por um tempo! Sentimos, até mesmo, a mente mais leve. No caso do coração, as emoções se aquietam e ficamos mais em paz. E aí, percebemos que a voz era apenas um som irritantemente ensurdecedor.

Mas quando a voz é interior, ela permanece “abaixo” dessa mente mais tranquila e desse coração mais calmo.

Realmente, não é fácil, mas é um treinamento que vale a pena! Todo dia será um grande desafio para saber ouvir a voz pura e verdadeira. Entretanto, cada vez que soubermos identificar nossa voz interior e sermos guiados por ela, é mais uma decisão perfeita que tomamos. Perfeita, porque será o melhor para nós e para o fluir do universo.


Um forte e fraterno abraço...


(Karen Igari)


Foto particular - KRI: foto tirada em São Paulo
Foto tirada em São Paulo, em 03/2016.