Crédito das fotos: Karen R. Igari

Crédito das fotos: Karen R. Igari

segunda-feira, 23 de maio de 2016

"A dificuldade em exercitar a gratidão"

  Exercitar a gratidão a todo instante é importantíssimo. Seja para agradecer por um sonho realizado ou por ter ficado feliz ao ver um filhote de cachorro, não importa. Ser grato é ser grato. Não há mistérios, não há regras, não há concessões. É ser grato por aquilo que fez sua alma saltitar ou entrar num estado de paz, mesmo que por um breve momento.

  Então, por que temos tanta dificuldade em sermos gratos? Bom, a resposta já foi dada no comecinho da nossa conversa: porque é preciso “exercitar a gratidão”. Somos seres pensantes, movidos e bloqueados por nossas emoções, com um ego estufado e com uma bagagem de hábitos, costumes, vícios e crenças. E tudo isso influencia no modo como enxergamos e julgamos as coisas. Inclusive, como damos valor ao que mereceria um mínimo de gratidão, mas que nem sempre é o que acontece...

  É difícil sermos gratos por estarmos bem agasalhados e quentinhos, naquele dia superfrio, quando, simultaneamente, estamos brigados com alguém. É difícil sermos gratos por nossa saúde, quando temos um machucadinho que incomoda. É difícil sermos gratos por uma ajuda oferecida, quando nosso orgulho fica ofendido. É difícil sermos gratos com aquela ajudinha nas tarefas, quando não foram feitas da maneira como estamos habituados. É difícil sermos gratos pelos momentos de descontração, quando estamos passando por apertos financeiros. É difícil sermos gratos pelo acolhimento das pessoas que amamos, quando somos controlados pelas preocupações com o trabalho. É difícil sermos gratos pelo céu azul, quando estamos presos no trânsito...

  E essa dificuldade em sermos gratos não significa que somos necessariamente ingratos, mas que voltamos toda nossa atenção e energia para o que não aconteceu, ou que não saiu conforme o planejado, ou que não gostamos do que aconteceu. E aí?! E aí que ficamos no automático. Tudo passa despercebido (inclusive, as oportunidades!); esse tudo perde a cor, o cheiro, o som, o sabor, o tato, a emoção, o significado.

  Por isso, quando investimos toda nossa energia em algo que não nos agrada e ficamos dispersos às bênçãos recebidas é o mesmo que ter um jardim enorme e rico, e observar apenas as ervas daninhas.

  É por essa razão que é preciso exercitar a gratidão. É natural o surgimento de ervas daninhas na nossa vida, que tiram nosso sono, que nos deixam estressados ou tristes, que nos desnorteiam, mas é necessário compreender que essas ervas não precisam ser o protagonista do nosso dia. Afinal, ainda há muita beleza e muito encanto no nosso jardim.

  Nem sempre estaremos satisfeitos com tudo, mas sempre teremos motivos para sermos gratos. E é aí que entra o exercitar a gratidão. Eu sei, eu sei, é difícil ser grato... Mas agora com essa conversa, quem sabe passamos a ajustar melhor o nosso foco?! Quem sabe começamos a enxergar que temos verdadeiras e frequentes razões para sermos gratos todos os dias?! Não custa tentar! E lembre-se: um pouco mais de gratidão vai fazer bem a você e às pessoas que o rodeia, além de ajudá-lo a reconhecer e propagar o bem e o bom. Pense nisso...


Um forte e fraterno abraço...


(Karen Igari)

Foto particular - KRI: foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 12/2014.