Crédito das fotos: Karen R. Igari

Crédito das fotos: Karen R. Igari

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

"Nem sempre as coisas estão como a gente espera"

Nem sempre as coisas estão como a gente espera; nem sempre elas acontecem dentro do prazo que estabelecemos. Mas olha só, reviravoltas fazem a gente ponderar o que de fato nos é importante e o que está apenas a passeio. Não adie suas escolhas, mas também não tenha pressa de escrever o futuro. Viva o presente. Semeie suas certezas no hoje. O amanhã se constrói com a colheita. 

(Marcely Pieroni Gastaldi)

Foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 03/2014.




quinta-feira, 20 de novembro de 2014

"O amor que a vida traz"

Você gostaria de ter um amor que fosse estável, divertido e fácil. O objeto desse amor nem precisaria ser muito bonito, nem rico. Uma pessoa bacana, que te adorasse e fosse parceira já estaria mais do que bom. Você quer um amor assim. É pedir muito? Ora, você está sendo até modesto.
O problema é que todos imaginam um amor a seu modo, um amor cheio de pré-requisitos. Ao analisar o currículo do seu candidato, alguns itens de fábrica não podem faltar. O seu amor tem que gostar um pouco de cinema, nem que seja para assistir em casa, no DVD. E seria bom que gostasse dos seus amigos. E precisa ter um objetivo na vida. Bom humor, sim, bom humor não pode faltar. Não é querer demais, é? Ninguém está pedindo um piloto de Fórmula 1 ou uma capa da Playboy. Basta um amor desses fabricados em série, não pode ser tão impossível.
Aí a vida bate à sua porta e entrega um amor que não tem nada a ver com o que você queria. Será que se enganou de endereço? Não. Está tudo certinho, confira o protocolo. Esse é o amor que lhe cabe. É seu. Se não gostar, pode colocar no lixo, pode passar adiante, faça o que quiser. A entrega está feita, assine aqui, adeus.
E agora está você aí, com esse amor que não estava nos planos. Um amor que não é a sua cara, que não lembra em nada um amor idealizado. E, por isso mesmo, um amor que deixa você em pânico e em êxtase. Tudo diferente do que você um dia supôs, um amor que te perturba e te exige, que não aceita as regras que você estipulou. Um amor que a cada manhã faz você pensar que de hoje não passa, mas a noite chega e esse amor perdura, um amor movido por discussões que você não esperava enfrentar e por beijos para os quais nem imaginava ter tanto fôlego. Um amor errado como aqueles que dizem que devemos aproveitar enquanto não encontramos o certo, e o certo era aquele outro que você havia solicitado, mas a vida, que é péssima em atender pedidos, lhe trouxe esse e conforme-se, saboreie esse presente, esse suspense, esse nonsense, esse amor que você desconfia que não lhe pertence. Aquele amor em formato de coração, amor com licor, amor de caixinha, não apareceu. Olhe pra você vivendo esse amor a granel, esse amor escarcéu, não era bem isso que você desejava, mas é o amor que lhe foi destinado, o amor que começou por telefone, o amor que começou pela internet, que esbarrou em você no elevador, o amor que era pra não vingar e virou compromisso, olha você tendo que explicar o que não se explica, você nunca havia se dado conta de que amor não se pede, não se especifica, não se experimenta em loja, como quem diz: ah, este me serviu direitinho!
Aquele amor corretinho por você tão sonhado vai parar na porta de alguém que despreza amores corretos, repare em como a vida é astuciosa. Assim são as entregas de amor, todas como se viessem num caminhão da sorte, uma promoção de domingo, um prêmio buzinando lá fora mesmo você nunca tendo apostado. Aquele amor que você encomendou não veio, parabéns! Agradeça e aproveite o que lhe foi entregue por sorteio.
12 de abril de 2009
(Martha Medeiros - In: "Feliz por nada" - L&PM Editores)

Foto tirada em Santa Branca
Foto tirada em Santa Branca, em 08/2014.



terça-feira, 18 de novembro de 2014

"Dê o passo que você mesmo hesitou"

Dê o passo que você mesmo hesitou
Solte o grito que você mesmo abafou
Desfaça os nós que você mesmo atou
Libere o tesão que você mesmo conteve
Solte-se...
Liberte-se...
Voe, voe muito alto...
E tenha coragem de ser feliz...

(Freiheit)

Foto tirada em zoo, de SP
Foto tirada em zoo, de SP, em 11/2014.



segunda-feira, 17 de novembro de 2014

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

"Permita-se!"

Permita-se andar pela rua no dia de chuva e chutar as poças d'água, andar pela areia da praia com os pés descalços, deitar na relva ainda úmida na manhã que se apresenta, contemplando a natureza. Permita-se rir de si mesmo, diante do espelho, contar uma piada sem graça que só você ri, falar do tempo com bom humor, contar estrelas em noite enluarada, perder a conta e recomeçar várias vezes... Permita-se errar e admitir o erro sem culpa, permita-se ser seu próprio advogado, já que você defende tanta gente, ame-se! Permita-se ser mais amigo que pai e pai na hora que o filho pede um conselho. Permita-se ser menos que "supermãe", ser simplesmente acolhedora, colo de mãe não tem igual. Permita-se ser amado, roubar um beijo, um abraço demorado, andar de mãos dadas pela praça, comer pipoca em um saquinho único, beber refrigerante com dois canudinhos, coisas bobas dos apaixonados, guardar papeizinhos, bobeira deliciosa... Permita-se chorar de vez em quando, desopilar a alma, emocionar-se, permita o arrepio dos pelos, e, no contato com Deus, permita o toque do Divino e crer na força da transformação que existe em você. Permita-se hoje viver o amanhã, sem se preocupar com o que foi, pois, assim é você, pessoa maravilhosa, que tudo pode dentro das suas limitações e para quem já aprendeu sonhar, qual é o limite da própria vida? Permita a invasão da alegria, seja feliz, ainda que a noite não pareça ter fim, o dia vai chegar e quer te encontrar sorrindo!

(Paulo Roberto Gaefke)

Foto tirada no zoo, de SP
Foto tirada no zoo, de São Paulo, em 11/2014.



terça-feira, 11 de novembro de 2014

"TAG: Culinária"

Oi, galera!


Bom, tive a honra de ser convidada pelo Edilson Lopes, do blog Mente Abertta, a participar de mais uma tag! Desta vez, vamos falar de um dos maiores prazeres dessa vida: comida! Espero que gostem!

(*) A regra consiste apenas em responder as perguntas e indicar dois blogs que você gostaria que fizessem o mesmo. =) Bora lá!


1. Em qual refeição você costuma comer mais? Café da manhã, almoço ou janta?
Tudo bem que o recomendado é comer reforçado no café da manhã e pegar mais leve na janta. Mas... digamos que faço o oposto, indo dormir com a barriga explodindo. Somente no almoço procuro comer mais reduzidamente, caso contrário, a moleza não me deixa trabalhar. =P

2. Tem algum alimento que você não come por nada?
Goiabada, geleias e compotas. O primeiro, porque tenho trauma, já que de tanto comer passei mal. Hoje, não consigo nem sentir o cheiro, sem embrulhar o estômago.

3. Você faz alguma mistura estranha?
Acho que não. Gosto apenas de comer coisas bem doces e tomar coca-cola em seguida. Adoro a sensação!

4. Está ou já fez dieta?
Bom, a minha única tentativa foi tentar reduzir a quantidade de comida. Resultado: preciso tentar de novo... =S

5. Qual seu fast food favorito?
Adoro lanches! Na verdade, adoro todo e qualquer tipo de fast food. Deu pra perceber o quanto minha alimentação é balanceada, né?! Mas também aprecio uma boa comida caseira... Indispensável!!!

6. Tem vontade de experimentar a culinária local de algum país?
Gostaria de experimentar praticamente todas, com exceção, os pratos muito exóticos, que levam coração de boi, testículos e coisas afins.

7. Prefere refrigerante, água ou suco?
Sou viciada em coca-cola, no entanto, aderi mais à água mesmo.

8. Prefere doce ou salgado?
Nossa, que difícil. Mas acho que seja doce, me faz salivar só pela aparência.

9. Tem alguma comida que você fala que não gosta, porém, nunca experimenta?
Não, pra eu dizer que não gosto é porque eu não gosto mesmo!

10. Tem costume de assaltar a geladeira na madrugada?
Sim, geladeira, fogão, armário, tudo que tenho direito. Meu pai costuma dizer que parece que tem rato em casa de madrugada.

11. Sabe cozinhar? Se sim, o que faz de melhor?
Confesso que cozinhar não é o meu forte, mas consigo me virar. Ah, strogonoff (é bem tranquilo =P).

12. Acompanha algum site, programa ou canal culinário?
Não tenho esse hábito, mas quando preciso de alguma receita, procuro em sites ou blogs. Mas acho bem legal disputas culinárias.

13. Cite 2 blogueiros que gostaria de ver respondendo essa tag.

Simone, do blog: Flores na cabeça

Rute, do blog: Literatura Infantil



Beijos!

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

"Invista no sorriso que acolhe"

Invista no sorriso que acolhe, nas palavras tracejadas de doçuras que afagam. Despista o mau humor, coloque a pressa pra dormir. Se atente ao que te faz bem. Abrace as borboletas, dance com a calmaria que renova sua coragem. Faça companhia pra ousadia de fazer o mundo de sonhos acontecer. Se faça feliz.

(Marcely Pieroni Gastaldi)

Foto tirada no zoo, SP.
Foto tirada no zoo de SP, em 11/2014.



quinta-feira, 6 de novembro de 2014

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

"Desejo sorriso nos lábios e um punhado de sonhos"

Desejo sorriso nos lábios e um punhado de sonhos. Desejo coragem para que os novos passos sejam dados, sabedoria para que os caminhos sejam trilhados, carinho para que a colheita seja leve e doce. Desejo fé renovada para que o medo não impeça que os sonhos sejam realizados, um tanto de aventuras para que possamos nos lembrar sempre o quanto somos capazes. Desejo amor eternizado no coração, para que quando a maldade tentar adentrar, tenhamos respingos de ternura e afeto para afastar.

(Marcely Pieroni Gastaldi)

Foto tirada na USP
Foto tirada na USP, em 2008.



terça-feira, 4 de novembro de 2014

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Ser feliz ou ter razão?

Oito da noite, numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair. Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda. Ele tem certeza que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado. Embora, com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto, faz o retorno. Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados. Mas ele ainda quer saber: - Se tinha tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devia ter insistindo um pouco mais... E ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite! 
Esta pequena história foi contada por uma empresária, durante uma palestra sobre simplicidade no mundo do trabalho. Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não. Desde que ouvi esta história, tenho me perguntado com mais frequência: "Quero ser feliz ou ter razão?"


(Autor desconhecido)

Foto tirada no Parque Ceret
Foto tirada no Parque Ceret, em 06/2014.



Foto-mensagem: "Os pescadores sabem que o mar é perigoso"

(Vincent Van Gogh)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 08/2014.



sábado, 1 de novembro de 2014

Foto-mensagem: "Para se livrar dos nossos medos"

(Zíbia Gasparetto)


Foto tirada em Morro do Sto. Antônio
Foto tirada em Morro do Santo Antônio, em 09/2013.



"Sou o que sou e não peço desculpas por isso"

Se parece ingênuo que eu acredite nas pessoas, que me chamem de tola. Se parece impossível que eu queira ir onde ninguém conseguiu chegar, que me chamem de pretensiosa. Se parece precipitado que eu me apaixone no primeiro momento, que me chamem de inconsequente. Se parece imprudente que eu me arrisque num desafio, que me chamem de imatura. Se parece inaceitável que eu mude de opinião, que me chamem de incoerente. Se parece ousado que eu queira o prazer todos os dias, que me chamem de abusada. Se parece insano que eu continue sonhando, que me chamem de louca. Só não me chamem de medrosa ou de injusta. Porque eu vou à luta com muita garra e muita vontade de acertar. E foi lutando que eu perdi o medo de ser ridícula. De ser enganada. De ser mal entendida. Perdi, na verdade, o medo de ser feliz. Não me incomoda se as pessoas me veem de forma equivocada. O importante mesmo é como eu vejo... Sem cobrança. Sem culpa. Sem arrependimento. A gente perde muito tempo tentando agradar aos outros. Tentando ser o que esperam de nós. Eu sou o que sou e não peço desculpas por isso. No meu caminho até aqui, posso não ter agradado a todo mundo, mas tomei muito cuidado para não pisar em ninguém. Sendo assim, me chame do que quiser, eu não ligo... Porque eu só atendo mesmo quando chamam pelo meu nome, que eu tenho o maior orgulho de carregar.

(Lena Gino)

Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 01/2014.