Crédito das fotos: Karen R. Igari

Crédito das fotos: Karen R. Igari

quinta-feira, 31 de julho de 2014

"Não despreze as oportunidades que surgirem em sua vida"

Não despreze as oportunidades que surgirem em sua vida. Não duvide de sua própria capacidade e não se sinta culpada porque você teve uma chance que outra pessoa não teve. Cada um deve seguir seu próprio caminho, e o que é bom para você pode não ser bom para outra pessoa, e vice-versa. Aproveite as oportunidades, corra atrás do sucesso, mas nunca se esquecendo dos que a cercam!

(D. A. Fernandes)

Foto tirada no Ibirapuera
Foto tirada no Ibirapuera, em 07/2014.


"Conheça seus limites"

"sempre deixamos de arriscar um novo emprego por não conhecermos nosso limite profissional; de semear um novo amor por não conhecermos nosso limite sentimental; de fazer novas amizades por não conhecermos nosso limite de perdão; e, por fim, deixamos o Universo Divino se afastar por não conhecermos nosso limite de fé"

(Cesar Romão, in: "Tente outra vez)


Foto tirada em Itu
Foto tirada em Itu, em 06/2014.


terça-feira, 29 de julho de 2014

Foto-mensagem: "Acostumados com a rotina"

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 05/2014.


"Decidi silenciar"

Decidi silenciar. Bati a porta pra ansiedade e desde então tenho passado mais tempo comigo. Quero saber quais são as minhas prioridades. Quero descobrir os desejos que estão aflorando e direcioná-los. Não quero deixar passar batido essas pequenas sensações. Tenho andado atordoada com o excesso de tomada de decisões. Odeio me despedir de quem me ilustra, e odeio ficar fazendo sala para quem não quer ficar. Tão contraditório eu sei, mas tão necessário. Não tenho dado conta das expectativas que afundaram no descaso. Não tenho dado conta da indiferença de uns e do ego inflado de outros. Não dou conta dessa pressão emocional que recebo. Eu não consigo fazer tudo certinho. Não consigo acertar a letra de primeira todas as vezes que sou chamada. Eu erro. Eu me atropelo. Eu esqueço o que é importante e faço remendo pro que me acolhe. Pro que me dá paz. Eu tenho silenciado para descobrir quem faz falta, quem se importa, quem me agrega. Tenho silenciado para não misturar as minhas vontades com a realidade que dança e muitas vezes não entendo a melodia. Tenho silenciado por necessidade. Por autoajuda ao meu coração.

(Marcely Pieroni Gastaldi)

Foto tirada no Ibirapuera
Foto tirada no Ibirapuera, em 07/2014.


sábado, 26 de julho de 2014

Foto-mensagem: "Nada é para sempre"

(Freiheit)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 09/2013.


Eu não posso silenciar as minhas vontades"

Eu não posso silenciar as minhas vontades. Engavetá-las e aceitar qualquer beirada de sensação. Se é para permanecer, que me faça ver estrelas e sentir o coração pulsar forte. Não quero menos do que mereço, não quero uma parte pequena do muito que me cabe. Pode até parecer egoísmo, mas quando a gente descobre o que quer e o que faz bem, vidros lapidados não enganam mais.

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 01/214.


Foto-mensagem: "A vida é um milagre"

(Freiheit)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 06/2011.


sexta-feira, 25 de julho de 2014

Eu nunca consegui me entregar aos poucos"

Eu nunca consegui me entregar aos poucos. Nunca consegui me doar em partes. Sempre foi tudo de uma vez com direito a intensidade e exagero no último grau de juízo. Não adianta colocar empecilhos ou inventar moda. Eu sinto, mergulho e pronto. Coleciono cicatrizes, mas não passo vontade de ser feliz, sabe? Eu tenho uma leve disposição a dar vida ao meu coração e quando ele resolve (trans) bordar me permito sem pensar nas consequências. Não faço do medo uma muleta para sabotar as vontades repentinas que roubam a razão. Eu vou de um extremo ao outro em dois segundos. Não adianta. Controlar o que é feito para extravasar nunca dá certo. Amar pela metade é desperdício de mãos tremendo e borboletas no estômago. Viver pela metade é calar os instantes de felicidade que nos transformam. Metade nunca proporciona o prazer inteiro.

(Marcely Pieroni Gastaldi)

Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 01/2014.


Foto-mensagem: "O tempo deixa perguntas"

(Autor desconhecido)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 06/2011.


quinta-feira, 24 de julho de 2014

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Foto-mensagem: "Não espere receber da vida presentes"

(Autor desconhecido)

Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 01/2014.


A história do pão velho

Vou contar um fato corriqueiro, que, inesperadamente, me trouxe uma grande lição de vida. Era um fim de tarde de sábado. Eu estava molhando o jardim da minha casa, quando fui interpelada por um garotinho com pouco mais de 9 anos, dizendo: 
- Dona, tem pão velho? 
Essa coisa de pedir pão velho sempre me incomodou desde criança. Olhei para aquele menino tão nostálgico e perguntei:
- Onde você mora?
- Depois do zoológico.
- Bem longe, hein?!
- É... mas eu tenho que pedir as coisas para comer.
- Você está na escola?
- Não. Minha mãe não pode comprar material.
- Seu pai mora com vocês?
- Ele sumiu.
E o papo prosseguiu, até que disse:
- Vou buscar o pão. Serve pão novo?
- Não precisa, não. A senhora já conversou comigo, isso é suficiente.
Esta resposta caiu em mim como um raio. Tive a sensação de ter absorvido toda a solidão e a falta de amor daquela criança, daquele menino de apenas 9 anos, já sem sonhos, sem brinquedos, sem comida, sem escola e tão necessitado de um papo, de uma conversa amiga. Caros amigos, quantas lições podemos tirar desta resposta: "Não precisa, não. A senhora já conversou comigo, isso é suficiente!". Que poder mágico tem o gesto de falar e ouvir com amor! Alguns anos já se passaram e continuam pedindo "pão velho" na minha casa... E eu dando "pão novo", mas procurando antes compartilhar o pão das pequenas conversas, o pão dos gestos que acolhem e promovem. Este pão de amor não fica velho, porque é fabricado no coração de quem acredita Naquele que disse: "Eu sou o pão da vida!". Verifique quantas pessoas talvez estejam esperando uma só palavra sua...


(Antônio Maia)

Foto tirada em Iporanga
Foto tirada em Iporanga, em 09/2013.

terça-feira, 22 de julho de 2014

segunda-feira, 21 de julho de 2014

"Não. Não sou ajuizada"

Não. Não sou ajuizada. Não tenho pretensão alguma de ser santa. Não faço tipo. Não visto rótulo. Não sou cem por cento certinha nem cem por cento do contra. Sou travessa na arte de me aventurar. Curiosa por natureza e teimosa por puro capricho. Sou avessa as explicações. Gosto mesmo é das emoções. Roteiros ensaiados não me representam. Gosto mesmo é do lambuzar os dias com vontades que surgem de repente no por acaso combinado com o destino.

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 05/2014.


quinta-feira, 17 de julho de 2014

quarta-feira, 16 de julho de 2014

"Pra hoje a certeza de que cada passo dado vale a pena"

Pra hoje a certeza de que cada passo dado vale a pena. Não importa se vão haver muitos obstáculos, o que vale é prosseguir. Confiar que Deus tem lido nosso coração e tem nos permitido escolher qual o melhor caminho a seguir. Não sente para ver a vida passar. Caminhe. Arrisque. Faça acontecer. Hoje é presente que semeia o amanhã.

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada no Ibirapuera
Foto tirada no Parque do Ibirapuera, em 07/2014.


Foto-mensagem: "O silêncio"

(Caio F. Abreu)


Foto tirada na Chapada Diamantina
Foto tirada na Chapada Diamantina, em 01/2013.


terça-feira, 15 de julho de 2014

"Se agarre na esperança"

Se agarre na esperança. Não desanime diante do medo. Eu sei que nem sempre é fácil enxergar além dos obstáculos, mas é preciso. O novo sempre assusta. Não saber para onde ir ou como agir também. Estamos acostumados à rotina. Criamos laços como alicerce para termos para onde correr quando as mudanças repentinas nos surpreenderem. Há resistência em mudar. Há resistência em explorar o amanhã. Não mexemos em time que está ganhando, e aí corremos o grande risco de paralisarmos diante da vida. De empacarmos na busca por novos sonhos ou quem sabe construir novos alicerces vencendo novos desafios. Estacionamos por comodismo. Por não querer mudar, por não aceitar que, às vezes, é preciso olhar adiante e explorar novos caminhos. Há muito para se viver. Há muito o que se edificar. Não cruze os braços diante da vida. Sufoque o medo com respingos de fé e prossiga. Crescer tem disso.

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 05/2014.


Foto-mensagem: "Se o seu navio"

(Jonathan Winters)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 06/2011.


segunda-feira, 14 de julho de 2014

Foto-mensagem: "Liberte seu coração"

(Roberto Shinyashiki)


Foto tirada no Parque do Ibirapuera
Foto tirada no Parque do Ibirapuera, em 07/2014.


"Brindo a vida (...)"

Brindo a vida, aos sorrisos que encantam, aos que abraçam apertado, aos que sonham sem limites, aos que se aventuram sem cerimônia. Aos que se vestem de esperança e se refazem. Aos que amam com verdade e aos que vibram com felicidade. Brindo quem é do bem, quem acredita, quem faz e acontece. Um brinde a todos que enfeitam com doçura e cor os dias cinzas.

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada no Ibirapuera
Foto tirada no Parque do Ibirapuera, em 07/2014.



"O efeito da pressão negativa"

Se você for ao mercado de peixe e observar a bacia de caranguejos, pode se perguntar: "Por que não colocam uma tampa, para que os caranguejos não escapem?". A resposta é a seguinte: Se um caranguejo começar a rastejar para fora da bacia, os outros o puxarão de volta e ele não conseguirá sair. É mais ou menos esse, o efeito da pressão negativa, algo que não podemos enxergar, mas que podemos sentir com intensidade e, depois de afetados, será necessário ter forte determinação para nos livrarmos desses fluidos tão ruins para a saúde do nosso espírito e do nosso bem-estar.

(X. Williams)


Foto tirada na Enseada
Foto tirada na Enseada, em 09/2011.



sábado, 12 de julho de 2014

Foto-mensagem: "Todo mundo é um gênio"

(Albert Einstein)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 01/2014.


"Somos, pela maneira de perceber o mundo, seres incompletos"

Somos, pela maneira de perceber o mundo, seres incompletos. Vivemos buscando desesperadamente a nossa "metade". Às vezes, pensamos ter encontrado e o nosso primeiro desejo é ficar até que a morte separe. No início da relação com a nossa "outra metade", ali do lado, nos sentimos completos e felizes. Mas, muitas vezes, ele resolve ir embora e lá estamos nós partidos, fragmentados, chorando e cantando como o poeta: "ó pedaço de mim, ó metade arrancada de mim"... Depois de alguns episódios de fracassos, ficamos com a impressão de que algo está errado. Começamos, então, a procurar um relacionamento que não nos deixe tão perdidos ao acabar, porque descobrimos, já não tão surpresos, que sim: os relacionamentos acabam!!! É quando percebemos como é difícil conseguir uma relação rica e criativa, inteira, sem dependência. Aí vem a pergunta: o que os homens procuram nas mulheres e as mulheres procuram nos homens? Quantas pessoas não se queixam que o casamento não deu certo, que o namoro não deu certo... Contam que, apesar de terem se dedicado tanto ao outro, de terem amado, cuidado e convivido, de repente a outra pessoa simplesmente deixou de amar. E se queixam dizendo: "ah, eu investi tanto nessa relação!". É isso que fazemos. Investimos nas relações. Investimos como se fosse um negócio. Agimos como quando colocamos o dinheiro na poupança e esperamos que os juros aumentem para que o investimento cresça! Damos amor, fidelidade, sexo, companheirismo, cumplicidade e, quando o retorno não vem é o caos! O investimento não teve retorno! Ora, nos negócios existe o risco. Pode dar certo ou não. E quando não dá, não adianta culpar o mercado ou o corretor. Trata-se apenas de juntar o que sobrou e reinvestir novamente em outras condições, ou sair à francesa, retirar-se do mercado por um tempo, pra evitar maiores prejuízos! O amor, entretanto, não é um mercado. Amamos para amar ou para sermos amados? Para as duas coisas, você diria... Mas, na verdade, a gente só pode se responsabilizar pelo nosso sentimento, nunca o do outro. Mas, já que amamos e estamos sempre procurando um jeito de misturar a nossa vida com a de alguém... O que se diz nesse momento é: siga em frente e seja feliz. Nunca um adeus dolorido vai ser pior do que um ficar por ficar!

(Clotilde Tavares)

Foto tirada no Parque do Ibirapuera
Foto tirada no Parque do Ibirapuera, em 07/2014.



"Você já deve ter percebido (...)"

Você já deve ter percebido que geralmente é necessário viver por momentos de crise para que realmente as pessoas mudem hábitos e costumes. Geralmente essas coisas acontecem quando estamos agarrados a velhos padrões de comportamento. Sabemos que tem que mudar, mas inconscientemente permanecemos agarrados a eles: é o medo do novo. Parece ser mais seguro ficar com aquilo que já conhecemos. Quando chegam as crises, dá impressão que o mundo acabou, enxergamos apenas o sofrimento, o caos! Por que isto está acontecendo comigo? É injusto! Sou uma pessoa tão boa! Não devia ter acreditado. Bem que me falaram. E etc, etc, etc... Tudo a nossa volta está em constante processo de transformação! Olhe a sua volta. Você irá perceber que todos têm questões a resolver. Mudar significa desapegar! Quando você se compromete com seu caminho de transformação, o mundo em sua volta também muda! Esse caminho é desafiante, árduo, mas seus resultados são gratificantes! Você poderá começar seu processo de transformação pelas pequenas coisas, assim irá exercitando sua mente para as grandes e necessárias transformações. Por exemplo, vá até o seu armário! Abra a porta e observe-o por alguns minutos. Veja todas as roupas que estão lá guardadas e perceba quantas peças você já não utiliza. Outras você quer acreditar que um dia ainda poderá usar, porém, o tempo passa e elas ficam pra lá. Algumas estão até velhas e fora de moda, daí você cria uma ilusão que poderá usá-las para "bater". Mas a peça fica parada tomando o espaço de peças novas. Tomam espaço, enquanto, poderiam ser úteis  para alguém. A acupuntura explica que a dor é excesso de energia concentrada em determinado ponto. É energia parada, sem movimento, sem fluência. Analogamente poderia estar num relacionamento sem qualidade, onde as pessoas tomam espaço no armário emocional, numa relação sem amor, sem respeito, achando que um dia possa melhorar, acreditando que um não possa viver sem o outro, pensando ser ruim com a pessoa e pior sem ela, ou por costume, ou para evitar conflitos familiares, chegando ao ponto de procurar o complemento emocional em relações extras. Desculpas existem várias, mas saiba que estará bloqueando a sua realização e ocupando o lugar de alguém que poderia chegar em sua vida, e também impedindo o outro na sua realização. Estará menosprezando a sua capacidade, seu potencial de amor, perdendo o seu tempo, sufocando a sua criatividade, impedindo o seu caminhar na estrada da vida, criando karmas. Você poderá começar a mudar esse jogo, através de seu armário. O armário de roupas é o reflexo da pessoa. É como se dissesse : Mostra-me teu armário e eu lhe direi quem és! Lá está você, o seu estilo, as suas cores. Verifique tudo o que está parado na sua vida, deixe a energia fluir começando pelo armário. Retire tudo o que não usa. Doe para quem precisa. Livre-se do que não é importante; poderá ter importância para o outro. Comece a transformar sua vida pelo armário e outras mudanças virão. Parece simples, mas requer disposição!

(Léo Artése)


Foto tirada no Ibirapuera
Foto tirada no Parque do Ibirapuera, em 07/2014.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

"Ela já quis rotular o que sentia"

Ela já quis rotular o que sentia. Já quis direcionar seus caminhos antes mesmo de dar o primeiro passo. Ela quis fazer tudo que ditavam ser padrão. Quis andar na linha e fazer bonito pros dedos que lhe eram apontados. Mas cansou. Já não é mais a menina que corria pelo quintal com os pés descalços e os cabelos soltos ao vento. Hoje é uma mulher decidida. Teimosa que só. Fala pouco. Gesticula, se expressa com o olhar e deixa tudo de lado quando se trata da sua felicidade. Ela não cria roteiros, vive um dia de cada vez. Não fica procurando medo dentro do armário, ela arrisca passos. Já não liga pros dedos apontados, se preocupa com o que se passa em seu coração. Ela ainda é menina quando se lambuza de brigadeiro e sorri até as bochechas doerem. No mais é uma mulher atrevida. Curiosa e disposta a desbravar o seu mundo de vontades.

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada em Itu
Foto tirada em Itu, em 06/2014.


quarta-feira, 9 de julho de 2014

"Que não nos falte motivos para continuar (...)"

Que não nos falte motivos para continuar quando tudo estiver fora do lugar; que não nos falte certezas quando a insegurança tentar fazer morada. Que não nos falte abraço quando de aconchego a gente precisar. Que não nos falte fé para sempre acreditar. Que não nos falte amor para sempre semear.

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada no Ibirapuera
Foto tirada no Parque Ibirapuera, em 07/2014.


segunda-feira, 7 de julho de 2014

"Eu não quero ouvir que está com saudade"

Eu não quero ouvir que está com saudade; quero ouvir que está vindo me ver. Não quero que a falta de tempo seja desculpa pra sua ausência. Quero que o tempo seja curto diante da vontade de ficarmos juntos. Não quero ser a causa dos seus problemas, quero ser o motivo do seu sorriso. Não quero que chegue preenchido por clichês, mas que seja apenas você mesmo. Eu não preciso de palavras bonitas, só preciso que você saiba demonstrar o tanto que se importa.

(Marcely Pieroni Gastaldi)


Foto tirada no Ibirapuera
Foto tirada no Parque do Ibirapuera, em 07/2014.


sexta-feira, 4 de julho de 2014

"Não me idealize, tampouco espere muito de mim"

Não me idealize, tampouco espere muito de mim. Não me coloque em nenhum pedestal. Não espere que eu seja a cura de nenhum crime passado que não cometi. Às vezes, sou um porto seguro nada seguro, mas me viro bem para segurar as pontas e no mínimo arrancar um sorriso seu. Mas olha, não espere viver um conto de fadas com direito a trilha sonora, efeitos especiais e estrelinhas. Garanto friozinho na barriga, conversa sem fim e aquela certeza de ter uma mão para segurar, mas breca essa ilusão de que eu por descuido sou perfeita. Nem passo perto. Sou real. Intensa e exagerada, e toda bordada em manias. Sou chata demais para esperar a vida abraçar e feliz demais para reclamar do óbvio. Não preciso de muito para ser feliz e isso pode te assustar um pouco. Pequenos gestos me cativam para sempre. Já, as palavras bonitas perdem a cor diante da falta de atitude. Gosto de sentir. De ver acontecer. Se for para me fazer presumir, nem se aproxima. Se não vale um beliscãozinho que seja, não vale a pena.

(Marcely Pieroni Gastaldi)

Foto tirada em Pouso Alegre
Foto tirada em Pouso Alegre, em MG, em 03/2014.


quinta-feira, 3 de julho de 2014

"Você é daquele tipo de pessoa"

Você é daquele tipo de pessoa que sempre espera que a vida aconteça, mas que não a vive plenamente? Pois, saiba que o tempo está passando e você não se deu conta de que é de pequenas coisas que a vida é formada. Não espere pela vida! A vida é o seu dia a dia, a sua rotina, a sua família, os seus amigos, o inesperado que acontece. Lembre-se de que você faz a sua vida mais atraente! Encontre nas pequenas coisas, o prazer do seu dia, do seu mês, do seu ano, da sua estada na terra!

(Holmes)

Foto particular
Foto particular


Foto-mensagem: "Aquele que não luta pelo futuro que quer"

(Autor desconhecido)


Foto tirada em Lambari
Foto tirada em Lambari, em MG, em 03/2014.


quarta-feira, 2 de julho de 2014

"Não adianta nada você reclamar e cruzar os braços"

Não adianta nada você reclamar e cruzar os braços. Não adianta nada você saber o caminho que deve percorrer e inventar um atalho só para aliviar o peso dos ombros. Quando a gente foge, o problema se prorroga. Não se resolve. Não se dissolve no tempo. Ao contrário, embola e só atrasa. Percorrer o caminho por inteiro te fortalece. Eu sei que não é fácil segurar as pontas. Sei que o desconhecido apavora. Mas lá na frente, você entende que não foi em vão e que cada dorzinha vale o mundo.

(Marcely Pieroni Gastaldi)

Foto tirada em Sete Lagoas
Foto tirada em Sete Lagoas, em 01/2013.


Foto-mensagem: "Amar a si mesmo"

(Oscar Wilde)


Foto tirada em Iporanga
Foto tirada em Iporanga, em 09/2013.


Foto-mensagem: "Amadurecer"

(Autor desconhecido)


Foto tirada em Sete Lagoas
Foto tirada em Sete Lagoas, em 01/2013.


Foto-mensagem: "O maior erro que você pode cometer"

(Autor desconhecido)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 01/2014.


terça-feira, 1 de julho de 2014

"Havia um cego que pedia esmola (...)"

Havia um cego que pedia esmola numa rua qualquer da cidade. Todos os dias, um escritor passava por ele, sempre de manhã e à noite. Em todas as ocasiões, deixava alguns trocados no chapéu. O cego segurava um cartaz com a seguinte frase: "Cego de nascimento. Uma esmola, por favor". Certa manhã, o escritor teve uma ideia: virou o letreiro do cego ao contrário e escreveu outra frase. Ao passar de volta, perguntou ao cego como tinha sido o seu dia. O cego, muito contente, respondeu: "Até parece mentira, mas hoje foi extraordinário! Todos que passavam por mim deixavam alguma coisa. Afinal, o que é que você escreveu no letreiro?". O escritor tinha escrito uma frase breve, mas que mexia com todos os que passavam... A frase era: "Em breve chegará a primavera e eu não poderei vê-la". A maioria das vezes, não importa o que você diz, mas como você o faz. Por isso, tome cuidado ao falar com as pessoas! Fale com o coração! Você será mais bem compreendido... Esta é a magia da comunicação!

(Autor desconhecido)

Foto tirada em Cabreuva
Foto tirada em Cabreuva, em 06/2014.