Crédito das fotos: Karen R. Igari

Crédito das fotos: Karen R. Igari

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

A felicidade a um palmo do nariz

Sabe aqueles dias, em que você se sente tão insatisfeito, desanimado e vazio, que a única coisa que poderia preenchê-lo e renová-lo, de verdade, seria fugir pra algum lugar paradisíaco? Aí, você começa a imaginar-se naquela praia, num dia superensolarado, de céu azul e tomando aquela água de coco ou, então, em meio à mata, rodeado de muito verde, ouvindo os galhos das árvores balançando e sentindo um frescor delicioso... Até que pá! Você acorda e volta para a realidade, mas como se tivesse levado um tapa na cara.

Pois é. A gente tem a mania de criar um apego por algo que está mais distante, além de enfeitar tudo, achando que quanto mais fru-fru e babado as coisas tiverem, maior será a sensação de satisfação e prazer. E então desejamos viajar, porque, somente assim, será possível relaxar; ansiamos ir a um restaurante bem chique, porque, apenas desse jeito, provaremos do melhor prato de nossas vidas; almejamos ir a um show de uma banda que está bombando, porque, desse modo, poderemos postar nas redes sociais, além de soltar a voz e pular loucamente, sem vergonha alguma... E vamos construindo cenários imaginários que poderiam ser a solução de tudo e, claro, alcançar a tão cobiçada felicidade.

No entanto, é crucial compreender que não é o lugar e nem o evento que importa, mas a sensação captada e desfrutada naquele momento. Certa vez, ouvi a profissional de desenvolvimento pessoal, Flavia Melissa, dizer que não importa se você idealizou sair com o seu parceiro pra jantar num restaurante bem requintado e, ao invés disso, vocês foram comer uma pizza num barzinho e foi tudo maravilhoso! Porque, o que realmente vale é a sensação daquele momento, de prazer, de realização, de leveza.

Realmente, viajar é fabuloso, não estou questionando isso, mas será que é o único jeito de relaxar e repor as energias? Restaurantes chiques são incríveis, mas é só dessa forma que você poderá saborear algo sensacional? Ir a shows é libertador, mas é apenas nessa ocasião em que você poderá soltar a voz e dançar? Estar em contato com a natureza é revigorante, mas é preciso ir para muito longe para obter tal benefício? Entende?!

Quando foi a última vez que você saiu para caminhar no parque e deixou-se hipnotizar pelo canto dos pássaros e pelo balançar das folhas? Quando foi a última vez que você parou pra apreciar o pôr do sol e admirar as cores que se formam no céu? Quando foi a última vez que você saboreou cada garfada dada, sentindo os ingredientes e as diferentes texturas? Quando foi a última vez que você se banhou, sentindo a água cair pelo corpo, a espuma na pele e o cheiro perfumado desse banho? Quando foi a última vez que você viveu o momento presente?

Sabe, não há problema algum em sonhar e idealizar, aliás, isso é ótimo, desde que isso seja o primeiro passo para correr atrás do que está sendo almejado, mas deixar de viver o agora por não saber desfrutar do que está ali à disposição e que também o fará muito feliz, aí sim é uma perda de foco e um desperdício de tempo. Por isso, permita-se sentir mais!

Apegue-se à sensação, porque é isso que alimenta a nossa alma, de verdade. São as boas sensações que nos dão mais paz e gás. Não é um lugar longínquo, nem algo cheio de pompa que interessa, mas sim o que sentimos. Se andar pelo quarteirão no final da tarde lhe faz bem, traz boas sensações, então caminhe. Se o faz feliz ficar de pijama em frente da televisão, então fique. Se cantar bem alto for algo libertador a você, então solte o gogó...

De novo: o que vale é o sentir. Então acolha e abrace a sensação, e apegue-se a ela, porque é o que realmente importa. Curta mais o momento. Saboreie mais o seu agora. E seja feliz...


Um forte e fraterno abraço...

(Karen Igari)

Foto particular - KRI: foto tirada no Parque da Luz
Foto tirada no Parque da Luz, em 01/2014.



quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Conectado na internet e desconectado com o agora

Eu não sei você, mas fico me questionando quando foi que começou toda essa necessidade quase que incontrolável de estar conectado sempre: ou é aquele som de notificação do celular apitando a todo instante, ou o vício de conferir o que anda rolando nas redes sociais.

Tudo parece ter se transformado em “caso de emergência”. Nada pode esperar, nada pode ser deixado para depois, mesmo que esse depois se resuma num aguardo de quinze minutos.

O imediatismo é a palavra perfeita para nomear o mau hábito que estamos adotando, já que preferimos ficar ausentes de onde estamos e com quem estamos para conectarmos com alguém pelo celular, e, na maioria das vezes, para dizer ou receber coisas banais.

Não estou dizendo que devemos dispensar essa ferramenta tão bacana que temos à mão, afinal, saber que podemos entrar em contato com qualquer pessoa e na hora que precisamos é algo sensacional. O problema é o uso desenfreado dessa tecnologia, que nos ajuda a conectar com o mundo, mas desconectar com o momento presente, com o agora, com a nossa própria vida, conosco mesmo... É saber tudo o que anda rolando por aí, mas não ter a menor noção e nem percepção do que anda acontecendo a um palmo do nariz.

Acho muito sábio e sensível da parte daqueles que sabem usufruir dos benefícios dessa fácil acessibilidade, como, por exemplo, enviando uma mensagem ou uma foto bem bacana (ou o que preferir) a alguém especial, como àquele amigo que sempre foi seu brother e que anda precisando de um incentivo, a sua esposa que está sobrecarregada e está necessitando de uma palavra amável, ao seu irmão que vem lutando para passar no concurso público e tem necessitado descontrair um pouco para ganhar um gás, .... Entendeu o espírito da coisa?!

Agora, tudo bem dar aquela olhadinha no celular, mas cuidado para que essa espiadinha não tome todo o seu tempo, que é tão precioso. Priorize aquilo que realmente é importante pra você, que vai agregar, que pode ajudar no seu aprendizado, no seu amadurecimento e na sua evolução. Que faça valer o seu tempo, que mereça o seu tempo...

Viva mais o seu agora. Esteja presente, de verdade. Conecte-se consigo mesmo, porque essa conexão é o que guiará os seus passos, que mostrará o mundo a você, que o levará a viver esse mundo. Olhe mais para dentro de si, ao invés, para telinha do seu celular, porque só se vive intensamente o momento presente estando de verdade no agora. Pare de olhar tanto para o mundo e viva mais o mundo. Pense nisso...


Um forte e fraterno abraço...


(Karen Igari)

Foto particular - KRI: foto tirada na Serra da Canastra
Foto tirada em Serra da Canastra, em 01/2015.


quarta-feira, 6 de julho de 2016

terça-feira, 28 de junho de 2016

Foto-mensagem: "O valor de uma coisa depende"

(André Gide)

Foto particular - KRI: foto tirada em Pratinha
Foto tirada em Pratinha, em 01/2016.


"Hábitos"

Hábitos são coisas que a gente faz repetidamente e nem percebemos. Eles funcionam no piloto automático. Alguns hábitos são bons, como fazer exercício regularmente, fazer planejamento, mostrar respeito pelos outros... Outros, não fazem diferença, tipo: tomar banho de noite ou ler revista de trás para a frente. Mas há os hábitos ruins! Pensar negativo é um deles... Sentir-se inferior e culpar os outros também! Dependendo de quais forem, os hábitos podem tanto nos moldar quanto nos arruinar. Nós nos tornamos o que fazemos repetidamente, mas, por sorte, você é mais forte do que seus hábitos. Assim sendo, é possível mudá-los. Experimente, por exemplo, cruzar os braços sobre o peito. Agora cruze-os ao contrário. O que lhe parece? Bem esquisito, não? Mas se você cruzá-los sempre ao contrário durante 30 dias seguidos, não irá mais estranhar. Na verdade, nem terá de pensar a respeito disso. Terá adquirido o hábito. Isso vale para tudo. A qualquer momento é possível. Se olhar no espelho e dizer: "Ei, não gosto disso em mim". Essa é a deixa para trocar um velho hábito ruim por um novo melhor. E mudar tudo! Nem sempre é fácil, mas sempre é possível... E quando isso acontece, você assume o controle da sua vida e caminha em direção à felicidade...

(Sean Covey)

Foto particular - KRI: foto tirada em Itu
Foto tirada em Itu, em 01/2016.


sexta-feira, 3 de junho de 2016

Como anda o seu tempo?

A melhor maneira de otimizar o seu tempo é parando. É isso mesmo! Pause o que está fazendo e respire fundo até acalmar-se e sentir-se alinhado ao seu momento presente. Parece que dessa forma, você estará desperdiçando muito tempo, não é mesmo? Mas não está!

Apesar da maioria das pessoas acreditar que é entrando no automático que as tarefas são cumpridas de modo mais rápido, é a partir de um planejamento que será possível potencializar o tempo, utilizando-o de um jeito inteligente e dando-lhe o devido valor.

Muitos reclamam da falta de tempo e do excesso de funções, mas poucos param para analisar e refletir como podem melhorar sua situação. O tempo é precioso, e como todos nós sabemos (e, às vezes, lamentamos), não é recuperável.

É por isso que parar por um instante é tão importante quanto cumprir a agenda lotada de compromissos e afazeres, cujos prazos são curtíssimos. Algumas pessoas têm certa repulsão quando se fala em organização, entretanto, esse é o pulo do gato pra quem deseja chegar ao fim do dia e sentir aquela coisa gostosa de dever cumprido.

Assim, aos adeptos dos tradicionais “papel e caneta”, aconselho que liste todos os afazeres do dia, que precisem realmente ser executados naquele dia. Cuidado com a empolgação e acabar colocando itens demais! Considere as horas que você tem e distribua as atividades. E a cada tarefa cumprida, risque-a do papel. Aliás, essa é a parte mais deliciosa, acredite! Ah, mas não precisa ser tão metódico com os horários, porque isso também gera uma pressão um tanto estressante...

Os mais moderninhos poderão contar com os aplicativos de celular, com a agenda do Google, com o próprio Excel, enfim, use a ferramenta que seja mais confortável e prática para você.

O importante mesmo é poder visualizar aquilo que precisa ser feito no decorrer do dia. Isto fará com que você não se perca nas atividades, esquecendo uma ou outra, ou gastando tempo demais num único afazer. Além, é claro, de poder chegar ao fim do dia dando aquele suspiro bem profundo de satisfação por ter feito o seu dia render.

Agora, caso acabe perdendo-se um pouco, deixando de cumprir algum item da listinha, não se frustre! Afinal, a vida também tem seus imprevistos. Então tenha jogo de cintura, faça da melhor forma aquilo que estiver ao seu alcance e seja feliz...


Um forte e fraterno abraço...


(Karen Igari)

Foto particular - KRI: foto tirada na Bahia
Foto tirada na Bahia, em 01/2015.




Foto-mensagem: "Mantenha-se firme em seus projetos"

(Raigi Ganeri)

Foto particular - KRI: foto tirada em Santo Antônio - Bahia
Foto tirada em Santo Antônio, Bahia, em 01/2015.


terça-feira, 24 de maio de 2016

Foto-mensagem: "Crie uma conexão forte com seu sonho"

(Freiheit)

Foto particular - KRI: foto tirada na Bahia
Foto tirada na Bahia, em 01/2015.


"O sofrimento poderá ser bom, se for do tipo certo"

 "Enfrentar as emoções negativas" pode ser muito difícil. Não é fácil enfrentar nosso sofrimento, nossa maldade e nosso ressentimento. Não é agradável. Mas, mesmo que seja difícil enfrentar nossas mágoas, isso também cura. Por isso, neste sentido, o sofrimento pode ser uma coisa boa.
  Mas não quero dizer com isso que o sofrimento em si seja bom. Acontecem coisas ruins que não são boas de modo algum. Se você sofreu abuso, não há como isso ser bom. Deus é solidário com você em qualquer situação que o faça sofrer. Mas o que estamos falando aqui é diferente. Diz respeito a enfrentar coisas que já estão dentro de você.
  O sofrimento que cura não é como a dor original. É um tipo diferente de sofrimento. Se você passa por uma experiência e sai ferido, isso é inevitável. Mas, se enfrenta o tipo certo de sofrimento - o segundo sofrimento que cura - você enfrenta a sua dor e a elabora. O evento que o faz sofrer é o primeiro sofrimento. Lidar com a dor que o evento lhe causou é o segundo sofrimento. E é esse que cura. Então, seu sofrimento acaba. Esse sofrimento intencional é o único tipo de aflição que põe fim ao sofrimento. Tristeza, confissão e perdão, tudo isso faz sofrer como um tratamento dentário. Mas, assim como esse tratamento, eles acabam com a infecção e a dor, e você fica mais saudável e mais forte depois do procedimento.

(Dr. Henry Cloud, in: O Segredo de Deus, pp. 100 - 101)

Foto particular - KRI: foto tirada na Bahia
Foto tirada na Bahia, em 01/2015.


segunda-feira, 23 de maio de 2016

Foto-mensagem: "Permita que seu sonho seja possível de ser realizado"

(Freiheit)


Foto particular - KRI: foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 08/2014.


"A dificuldade em exercitar a gratidão"

  Exercitar a gratidão a todo instante é importantíssimo. Seja para agradecer por um sonho realizado ou por ter ficado feliz ao ver um filhote de cachorro, não importa. Ser grato é ser grato. Não há mistérios, não há regras, não há concessões. É ser grato por aquilo que fez sua alma saltitar ou entrar num estado de paz, mesmo que por um breve momento.

  Então, por que temos tanta dificuldade em sermos gratos? Bom, a resposta já foi dada no comecinho da nossa conversa: porque é preciso “exercitar a gratidão”. Somos seres pensantes, movidos e bloqueados por nossas emoções, com um ego estufado e com uma bagagem de hábitos, costumes, vícios e crenças. E tudo isso influencia no modo como enxergamos e julgamos as coisas. Inclusive, como damos valor ao que mereceria um mínimo de gratidão, mas que nem sempre é o que acontece...

  É difícil sermos gratos por estarmos bem agasalhados e quentinhos, naquele dia superfrio, quando, simultaneamente, estamos brigados com alguém. É difícil sermos gratos por nossa saúde, quando temos um machucadinho que incomoda. É difícil sermos gratos por uma ajuda oferecida, quando nosso orgulho fica ofendido. É difícil sermos gratos com aquela ajudinha nas tarefas, quando não foram feitas da maneira como estamos habituados. É difícil sermos gratos pelos momentos de descontração, quando estamos passando por apertos financeiros. É difícil sermos gratos pelo acolhimento das pessoas que amamos, quando somos controlados pelas preocupações com o trabalho. É difícil sermos gratos pelo céu azul, quando estamos presos no trânsito...

  E essa dificuldade em sermos gratos não significa que somos necessariamente ingratos, mas que voltamos toda nossa atenção e energia para o que não aconteceu, ou que não saiu conforme o planejado, ou que não gostamos do que aconteceu. E aí?! E aí que ficamos no automático. Tudo passa despercebido (inclusive, as oportunidades!); esse tudo perde a cor, o cheiro, o som, o sabor, o tato, a emoção, o significado.

  Por isso, quando investimos toda nossa energia em algo que não nos agrada e ficamos dispersos às bênçãos recebidas é o mesmo que ter um jardim enorme e rico, e observar apenas as ervas daninhas.

  É por essa razão que é preciso exercitar a gratidão. É natural o surgimento de ervas daninhas na nossa vida, que tiram nosso sono, que nos deixam estressados ou tristes, que nos desnorteiam, mas é necessário compreender que essas ervas não precisam ser o protagonista do nosso dia. Afinal, ainda há muita beleza e muito encanto no nosso jardim.

  Nem sempre estaremos satisfeitos com tudo, mas sempre teremos motivos para sermos gratos. E é aí que entra o exercitar a gratidão. Eu sei, eu sei, é difícil ser grato... Mas agora com essa conversa, quem sabe passamos a ajustar melhor o nosso foco?! Quem sabe começamos a enxergar que temos verdadeiras e frequentes razões para sermos gratos todos os dias?! Não custa tentar! E lembre-se: um pouco mais de gratidão vai fazer bem a você e às pessoas que o rodeia, além de ajudá-lo a reconhecer e propagar o bem e o bom. Pense nisso...


Um forte e fraterno abraço...


(Karen Igari)

Foto particular - KRI: foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 12/2014.


quinta-feira, 19 de maio de 2016

Vídeo: "Como lidar com rasteiras", por Paula Abreu

Eu não sei o que você tem passado, mas esse vídeo superdidático e revelador da coach Paula Abreu pode responder a algumas perguntas, além de ajudá-lo a lidar com as "rasteiras" que a vida ou que alguém deu... Aproveite! Vale a pena!



terça-feira, 17 de maio de 2016

Foto-mensagem: "Passe a vida"

(autor desconhecido)

Foto particular - KRI: foto tirada no Ibirapuera
Foto tirada no Parque do Ibirapuera, em 07/2014.


"A cigarra e as formigas - A formiga boa"

  Houve uma jovem cigarra que tinha o costume de chiar ao pé dum formigueiro. Só parava quando cansadinha; e seu divertimento então era observar as formigas na eterna faina de abastecer as tulhas.
 Mas o bom tempo afinal passou e vieram as chuvas. Os animais todos, arrepiados, passavam o dia cochilando nas tocas.
  A pobre cigarra, sem abrigo em seu galhinho seco e metida em grandes apuros, deliberou socorrer-se de alguém.
  Manquitolando, com uma asa a arrastar-se, lá se dirigiu para o formigueiro. Bateu - tique, tique, tique...
  Aparece uma formiga friorenta, embrulhada num xalinho de paina.
  - Que quer? - perguntou, examinando a triste mendiga suja de lama e a tossir.
  - Venho em busca de agasalho. O mau tempo não cessa e eu...
  A formiga olhou-a de alto a baixo.
  - E que fez durante o bom tempo, que não construiu sua casa?
  A pobre cigarra, toda tremendo, respondeu depois dum acesso de tosse.
  - Eu cantava, sabe...
 - Ah!... exclamou a formiga recordando-se. Era você então quem cantava nessa árvore enquanto nós labutávamos para encher as tulhas?
  - Isso mesmo, era eu...
 - Pois entre, amiguinha! Nunca poderemos esquecer as boas horas que sua cantoria nos proporcionou. Aquele chiado nos distraía e aliviava o trabalho. Dizíamos sempre: que felicidade ter como vizinha tão gentil cantora! Entre, amiga, que aqui terá cama e mesa durante todo o mau tempo.
  A cigarra entrou, sarou da tosse e voltou a ser a alegre cantora dos dias de sol.

(Monteiro Lobato, in: Fábulas)

Foto particular - KRI: foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 05/2014.


quarta-feira, 11 de maio de 2016

"E quando tudo o que queremos é o colo de Deus"

  Sabe quando a única coisa que o confortaria seria estar no colo de Deus? E digo estar literalmente no colo! Pois é. Não sei qual é a sua crença, em quem ou no que você crê, mas sendo cristã (no sentido de acreditar em Cristo), há momentos em que eu desejo estar no colo de Deus, acolhida, abraçada, acariciada e protegida. Afastada de tudo e de todos por um breve instante, no silêncio, na calmaria, na paz...

  Às vezes, é preciso mais do que recarregar a bateria. Fazer algo que gostamos muito, nem sempre apazigua nosso interior. Ainda fica um ruído lá no fundo, que se assemelha com uma série de vozes na cabeça e uma agitação desconfortável no coração.

  E aí, tudo o que desejamos é estarmos seguros, protegidos e envolvidos por puro e sereno amor...

  Eu não sei o que você tem passado. Não sei quais as emoções que estão angustiando-o. Não sei o quanto seu coração anda apertado ou quantas vozes tem atormentado sua cabeça, mas seja em quem ou no que for que você creia, busque o colo.

  Apesar do meu enorme desejo de querer estar literalmente no colo de Deus, por um breve momento, naquelas horas de aperto no peito ou de mente muito confusa, eu sei que não posso ter o colo “tradicional”, mas sei também que posso sim contar com o conforto de Deus. Seja admirando o céu, em silêncio, da janela do quarto, recolhendo-me num ambiente mais reservado e respirando fundo, unindo as mãos e fazendo uma oração.

  Tudo é uma fase, apesar de termos a impressão de estarmos vivendo um tormento eterno. Por isso, buscar estar em paz é a melhor coisa que podemos fazer para não nos desalinharmos de nós mesmos, de nossa essência, de nosso propósito e de nossa fé.

  As coisas hão de se ajeitar, de encontrar seu lugar, assim como você, assim como eu. Então busque o seu refúgio; corra para o colo que o conforta verdadeiramente e leve o tempo que precisar. Alinhe-se, reconecte-se com o seu interior e fique bem, esteja bem...


  Um forte e fraterno abraço...

(Karen Igari)

Foto particular - KRI: foto tirada em Morro do Carvão
Foto tirada em Morro do Carvão, em 01/2015.


quinta-feira, 5 de maio de 2016

"Você está presente em seus relacionamentos?"

  Poder contar com a pessoa que amamos em momentos complicados é sensacional. Afinal, não há nada melhor do que ter o colo, o apoio, o incentivo e, inclusive, os puxões de orelha de quem temos tanto apreço.
  
  Lidar com situações desafiadoras, tensas e desgastantes é natural. Não se trata de pura “zica”. Todos nós passamos por fases mais sombrias como essas, e a tendência é a de sermos afetados mesmo. Nosso humor é prejudicado, assim como a nossa própria presença. É verdade! Ficamos dispersos, distantes e, até mesmo, mais frios.
  
  Por um lado, achamos que merecemos a compreensão alheia. Mas, às vezes, nem achamos nada, apenas agimos automaticamente. Nem percebemos o quanto distantes estamos. Simplesmente, deixamos levar-nos pelas tensões.
  
  O problema é que mudamos sem dar conta disso. E para onde vai a qualidade dos nossos relacionamentos em momentos delicados assim?!
  
  Contar com a ajuda, força e compreensão das pessoas que amamos é realmente uma bênção, mas não podemos abusar disso. É preciso aprender a separar aquilo que cabe a você e ao outro. Sabe aquele conselho que na hora de dormir, não se deve levar os problemas para o travesseiro?! Pois é. Com o relacionamento é a mesma coisa.
  
  Compartilhar aquilo que estamos vivendo é importante, já que também estreita os laços de um relacionamento. No entanto, a carga pesada dos nossos desafios não deve pesar na relação. Não é uma tarefa fácil, mas é crucial que seja feita.
  
  Por isso, se você está com algum problema ou tendo que lidar com algo bem desafiador, conte sim à pessoa que você tanto ama e confia. Converse, troque ideias, diga como se sente, o que tem pensado, ou seja, desabafe de coração (mas também não precisa fazer aquela cena típica de novelas mexicanas, porque haja paciência!).
  
  E com o coração mais leve, esforce-se para deixar o problema fora da relação. Afinal de contas, ninguém gosta de ser um saco de pancadas, de ficar para segundo plano ou ter que sofrer as consequências de desafios alheios, não é verdade?! Ou você gostaria?
  
  Pense em si, em seus desafios, mas sem que isso polua os seus relacionamentos. Cultive-os com atenção, dedicação, presença, carinho, qualidade e amor. Porque manter uma relação saudável e verdadeira também se trata de um desafio, um desafio constante, mas um delicioso desafio. Pense nisso...
  
  
  Um forte e fraterno abraço...


(Karen Igari)

sexta-feira, 29 de abril de 2016

"É sempre tempo de recomeçar"

 Apegamo-nos demais ao que deixamos de fazer, ao que ficou no meio do caminho, inacabado, ou, até mesmo, recém-iniciado. E gastamos nossa energia culpando a nós mesmos, à rotina corrida, aos imprevistos e ao que estiver dando sopa por aí pra receber a culpa também.

 O problema é que não nos damos conta de que esse tempo que gastamos remoendo o que deixamos de fazer poderia ser utilizado pra recomeçar.

 O que passou, passou. Infelizmente ou felizmente, tempo é algo irrecuperável. Por isso, seja lá o que for que tenha deixado de lado, esquecido ou inacabado, é sempre tempo de recomeçar. Uma vez, ouvi uma psicóloga comentando em um vídeo que quando perguntavam ao seu pai qual era o sentido da vida, ele respondia “o sentido da vida é pra frente”. E é verdade.

 Assim também deve ser a nossa postura quando por algum motivo especial ou banal perdemo-nos em nossa trajetória, nossas tarefas, nossas metas, nossos sonhos.

 Recomece! Não importa onde você tenha parado, recomece. Gaste energias para colocar seus planos em prática, ao invés, de lamentar-se pelo tempo perdido. Já foi. Agora é hora de respirar fundo, pegar um gás e bora batalhar.

 Boa sorte e bom trabalho pra você, boa sorte e bom trabalho pra mim também...


 Um forte e fraterno abraço...


(Karen Igari)

Foto particular - KRI: foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 03/2014.


"Esforços de todo o coração produzem resultados reais", in: "O segredo de Deus"

  Quando a cozinheira disse que o menu ia ser presunto e ovos, a galinha e o porco tiveram reações muito diferentes. "Eu acho que você não entendeu", disse o porco à galinha. "Para mim, isto envolve um nível muito diferente de compromisso". E assim é. O porco teve de se entregar inteiro para que aquela refeição acontecesse.
  Você já pensou sobre o que são seus "presunto e ovos"? Onde você é o porco? Que coisas na sua vida envolvem todo o seu coração? O que quer tanto que aconteça que está disposto a se entregar por inteiro em prol disso? Este é o objeto deste segredo. As coisas em que queremos ter sucesso requerem todo o nosso compromisso; se não o dermos, elas vão andar aos tropeços ou não realizarão todo o seu potencial. Isso é verdade em nossos relacionamentos, nossos negócios, nossas carreiras, nosso crescimento espiritual e, mais importante, no nosso relacionamento com Deus. Onde colocarmos nossos esforços, veremos resultados.

(Dr. Henry Cloud, in: "O segredo de Deus", pp. 189 - 190)

Foto particular - KRI: foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 05/2014.


Foto-mensagem: "Quando é pra ser"

(autor desconhecido)

Foto particular - KRI: foto tirada na Bahia
Foto tirada na Bahia, em 01/2015.