Crédito das fotos: Karen R. Igari

Crédito das fotos: Karen R. Igari

quinta-feira, 26 de junho de 2014

"Para que serve um amigo?"

Para que serve um amigo? Para rachar a gasolina, emprestar a prancha, recomendar um disco, dar carona pra festa, passar cola, caminhar no shopping, segurar a barra.
Todas as alternativas estão corretas, porém, isso não basta para guardar um amigo do lado esquerdo do peito.
Um amigo não racha apenas a gasolina: racha lembranças, crises de choro, experiências. Racha a culpa, racha segredos. Um amigo não recomenda apenas um disco. Recomenda cautela, recomenda um emprego, recomenda um país. Um amigo não dá carona apenas pra festa. Te leva pro mundo dele, e topa conhecer o teu. Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado. Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador. Duas dúzias de amigos assim ninguém tem. Se tiver um, amém.


(Martha Medeiros)

Foto tirada no Ceret
Foto tirada no Ceret, em Anália Franco, SP.


Foto-mensagem: "Acredite em milagres"

(Emanuel Kant)


Foto tirada em Pesq. Kobayashi
Foto tirada em Biritiba Mirim, em 01/2014.



quarta-feira, 25 de junho de 2014

"A costureira"

"Um tecido só é bonito de verdade à medida que possui um avesso que o sustenta. A beleza externa só tem sentido porque há um alicerce no contraponto. Interessante, mas as pessoas são semelhantes aos tecidos. Se não há uma trama de sustentação, não há beleza que possa sobreviver aos desmandos do mundo."

(Padre Fábio de Melo - "Mulheres de aço e de flores")

Foto tirada em Itu
Foto tirada em Itu, em 06/2014.


Foto-mensagem: "Não venci todas as vezes"

(Mario Quintana)


Foto particular
Foto tirada na estrada de Minas Gerais, em 01/2013.



"Meus amigos são todos assim"

Meus amigos são todos assim: metade loucura, outra metade santidade. Escolho-os não pela pele, mas pela pupila, que tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias, e aguentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Louco que senta e espera a chegada da lua cheia. Quero-os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta. Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Pena, não tenho nem de mim mesmo, e risada, só ofereço ao acaso. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos, nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto, e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril.

(Marcos Lara Resende)


Foto tirada no Guarujá
Foto tirada no Guarujá, em 09/2011.


terça-feira, 24 de junho de 2014

Foto-mensagem: "O primeiro passo"

(Autor desconhecido)


Foto tirada em Bragança Paulista
Foto tirada em Bragança Paulista, em 12/2013.



"Nossa atitude diante da vida"

Nossa atitude diante da vida, não depende necessariamente do que se passa a nossa volta, e sim do que se passa dentro de nós. Os seres humanos têm dentro de si a capacidade de agir, reagir, transformar, criar. Cabe a nós permitir ou não que os acontecimentos, o ambiente ou a nossa disposição influenciem nosso comportamento. Não existe situação positiva ou negativa. Somos nós que decidimos! Decida-se sempre pelo melhor!

(Xandria Williams)


Foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 05/2014.


sábado, 21 de junho de 2014

sexta-feira, 20 de junho de 2014

"Quando a gente ouve falar em talento"

Quando a gente ouve falar em talento pensa logo em artista, em gente famosa...
Talentoso não é só quem aparece em jornais, revistas e tv. Talento é como impressão digital: Cada um tem o seu e nunca é igual ao do outro. Muita gente fala que não tem talento pra nada. Se a gente achar que só os gênios ou os ganhadores do Oscar têm talento, fica difícil ver talento em nós mesmos. Talento não tem que ser notícia, nem recorde, nem ibope. Talento é aquela coisa, que a gente faz com naturalidade e faz bem feito! Tem gente que nasceu pra cuidar de casa. Você acha pouco? Administrar uma família exige talento. Tem gente que passa a vida feliz, só consertando carros. Mexer um motor exige talento. Eu vejo talento nas mínimas coisas. O sorriso de um balconista, por exemplo, me chama a atenção pra um talento raro, hoje em dia: O talento de ser gentil e atencioso. Eu conheço gente que não tem habilidade nenhuma na cozinha, mas que tem um talento enorme pra reunir pessoas em volta de uma mesa. Aí, os jantares ficam inesquecíveis. Eu valorizo muito o talento, por menos visível que ele seja. Você não precisa subir num palco pra mostrar que tem talento. Por trás de um grande espetáculo tem muito talento em jogo. Do diretor ao funcionário encarregado de abrir e fechar as cortinas. Tenha orgulho do seu talento, mesmo que ele não vire notícia. Mesmo que ele pareça tolo aos olhos dos outros. Você é único no que faz. Principalmente, se faz com dedicação e humildade.


(Lena Gino)


Foto particular



"Infância" - Da série 'Um lugar, uma história'

Foi só aprender a ter equilíbrio pra ganhar confiança, dali em diante ficou cada vez mais fácil vencer os desafios. Só um empurrãozinho e íamos em frente. Estávamos só começando a vida e viver parecia muito simples.
O balanço podia voar, e era só esticar o corpo pra alcançar as nuvens. Quando batia a insegurança, estava sempre ali a mão estendida pra me proteger. Talvez muito tempo já tenha se passado, mas o afeto que recebemos e o que vimos quando criança, hoje é parte de nós.
Dividir, compartilhar, reclamar direitos, saber esperar, não desistir nos primeiros tombos. É de pequeno que se aprende tudo isso...
O nome deste menino é Eduardo, eu o encontrei por estes dias em uma das reportagens, no Vale do Ribeira, tem só quatro anos e diz que já sabe muito sobre o mundo... "Eu tô velho já".
Eduardo, ele está em um lugar onde todas as crianças deveriam ter o direito de viver. Não falo da cidade, nem da casa, mas do tempo, ele mora na época da infância feliz. Onde não há meias palavras ou respostas...
O mundo pela sinceridade de Eduardo, assim como por todas as crianças. E a gente que já cresceu tem a obrigação de garantir a elas, que esse tempo seja vivido na plenitude. Porque é na infância, que aprendemos o essencial para viver feliz!


(Rosana Valle - TV Tribuna, da série: "Um lugar, uma história")

Foto tirada no Parque da Luz
Foto tirada no Parque da Luz, em São Paulo.



"Se não puderes ser um pinheiro"

Se não puderes ser um pinheiro no topo de uma colina, sê um arbusto no vale, mas sê o melhor arbusto à margem do regato. 
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore. 
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva e dá alegria a algum caminho. 
Se não puderes ser uma estrada, sê apenas uma senda. 
Se não puderes ser o sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.


(Pablo Neruda)

Foto tirada em Morro Santo Antônio
Foto tirada no Morro do Santo Antônio, em Caraguatatuba, em 09/2013.



quinta-feira, 19 de junho de 2014

"O meio da vida"

Vida é o que existe entre o nascimento e a morte. O que acontece no meio é o que importa. No meio, a gente descobre que sexo sem amor também vale a pena, mas é ginástica, não tem transcendência nenhuma. Que tudo o que faz você voltar pra casa de mãos abanando (sem uma emoção, um conhecimento, uma surpresa, uma paz, uma ideia) foi perda de tempo. Que a primeira metade da vida é muito boa, mas da metade pro fim pode ser ainda melhor, se a gente aprendeu alguma coisa com os tropeços lá no início. Que o pensamento é uma aventura sem igual. Que é preciso abrir a nossa caixa preta de vez em quando, apesar do medo do que vamos encontrar lá dentro. Que maduro é aquele que mata no peito as vertigens e os espantos. No meio, a gente descobre que sofremos mais com as coisas que imaginamos que estejam acontecendo do que com as que acontecem de fato. Que amar é lapidação e não destruição. Que certos riscos compensam - o difícil é saber previamente quais. Que subir na vida é algo para se fazer sem pressa. Que é preciso dar uma colher de chá para o acaso. Que tudo que é muito rápido pode ser frustrante. Que Veneza, Mykonos, Bali e Patagônia são lugares excitantes, mas que incrível mesmo é se sentir feliz dentro da própria casa. Que a vontade é quase sempre mais forte que a razão. Quase? Ora, é sempre mais forte. No meio, a gente descobre que reconhecer um problema é o primeiro passo para resolvê-lo. Que é muito narcisista ficar se consumindo consigo próprio. Que todas as escolhas geram dúvida, todas. Que depois de lutar pelo direito de ser diferente, chega a bendita hora de se permitir a indiferença. Que adultos se divertem muito mais do que os adolescentes. Que uma perda, qualquer perda, é um aperitivo da morte - mas não é a morte, que essa só acontece no fim, e ainda, estamos falando do meio. No meio, a gente descobre que precisa guardar a senha, não apenas do banco e da caixa postal, mas a senha que revela a nós mesmos. Que passar pela vida à toa é um desperdício imperdoável. Que as mesmas coisas que nos exibem também nos escondem (escrever, por exemplo). Que tocar na dor do outro exige delicadeza. Que ser feliz pode ser uma decisão, não apenas uma contingência. Que não é preciso se estressar tanto em busca do orgasmo, há outras coisas que também levam ao clímax: um poema, um gol, um show, um beijo. No meio, a gente descobre que fazer a coisa certa é sempre um ato revolucionário. Que é mais produtivo agir do que reagir. Que a vida não oferece opção: ou você segue, ou você segue. Que a pior maneira de avaliar a si mesmo é se comparando com os demais. Que a verdadeira paz é aquela que nasce da verdade. E que harmonizar o que pensamos, sentimos e fazemos é um desafio que leva uma vida toda, esse meio todo.

(Martha Medeiros)

Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 06/2011.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

"Se um cão fosse seu professor (...)"

Se um cão fosse seu professor... Você aprenderia coisas assim: Quando alguém que você ama chega em casa, corra ao seu encontro. Nunca perca uma oportunidade de ir passear de carro. Permita-se experimentar o ar fresco do vento no seu rosto. Mostre aos outros que estão invadindo o seu território. Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice antes de levantar. Corra, pule e brinque todos os dias. Tente se dar bem com o próximo e deixe as pessoas te tocarem. Não morda quando um simples rosnado resolve a situação. Em dias quentes, pare e role na grama, beba bastante líquido e deite debaixo da sombra de uma árvore. Quando você estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo. Não importa quantas vezes o outro te magoe, não se sinta culpado... volte e faça as pazes novamente. Aproveite o prazer de uma longa caminhada. Se alimente com gosto e entusiasmo. Coma só o suficiente. Seja leal. Nunca pretenda ser o que você não é. Se você quer se deitar embaixo da terra, cave fundo até conseguir. E o mais importante de tudo... Quando alguém estiver nervoso ou triste, fique em silêncio, fique por perto e mostre que você está ali para confortar. A amizade verdadeira não aceita imitações!

(Autor desconhecido)

Foto tirada em Milho Verde
Foto tirada em Milho Verde, em MG, em 01/2013.



terça-feira, 17 de junho de 2014

"A sensação da passagem do tempo" - Da série 'Um lugar, uma história'

Nove meses de espera? Não, a mãe aguardou de fato uma vida inteira pra tê-lo nos braços. E depois, foi tão depressa que não havia o que conseguisse convencê-la de que aquele homem feito, já não era mais um bebê.
Quem disse que o tempo pode ser medido da mesma forma em qualquer tempo?
Se quando criança, o tempo custava a passar. E depois de adulto, não há tempo pra nada?
Lembra, no início da vida era tudo novo, grande, e dormir era perda de tempo. Se a brincadeira estava divertida, aí então, nunca era tempo suficiente. Queríamos sempre mais cinco minutos.
Curioso era que a gente achava que ficava tempo demais na escola, mas agora que aquele tempo se foi, vemos que na verdade, o tempo de aprender passou voando. Só o dia da formatura da faculdade é que custou a chegar, fazer 18 anos, então, demorou tanto. Até que a maioridade apareceu de surpresa.
Depois, os aniversários bateram a porta com a rapidez de uma fórmula um. Chegava em sequência, atropelando tudo pelo caminho. Dá pra acelerar o tempo pra chegar logo o dia da viagem? E lá no destino, virar a folhinha do calendário bem devagar?
Infelizmente, não dá. Passa o carnaval, vem a Páscoa. E já está na hora de pendurar o enfeite na porta e esperar o Natal.
Desde que o físico alemão Albert Einsten desvendou seus segredos lá pelas idas de 1900, o tempo, além de relativo, ficou implacável, como se fizesse pirraça. Quando a gente espera por ele, sempre atrasa. E quando queremos que ele demore a passar, voa...
Não é assim quando estamos na fila? Quando a conversa está boa? Pois é, quer viver em paz com o tempo? Não lamente o que já passou, não deixe nada de bom pra outra hora e não culpe a falta de tempo por não fazer o que gosta.
Quer saber de uma coisa? Você pode ser o senhor do seu tempo. É só de vez em quando não dar ouvidos ao tique-taque do relógio e seguir o ritmo do seu coração.


(Rosana Valle - TV Tribuna)

Foto tirada em Iporanga
Foto tirada em Iporanga, em 09/2013.


quarta-feira, 11 de junho de 2014

"Pescador: um exemplo de felicidade" - Da série 'Um lugar, uma história'

Eu quis muito ter uma casa na praia, acordar com o barulho do mar, abrir a janela e admirar uma paisagem assim.
Eu também quis morar no campo, bem no alto da montanha, dormir com os grilos, levantar com os passarinhos.
Lamentei não ter dinheiro para viajar sem destino, sem data de partir, sem dia para voltar.
Eu queria descobrir o mundo e encontrar o paraíso.
Desejei não ter contas pra pagar, me livrar do trabalho, sonhei com um cartão de créditos sem limites.
Eu queria comprar, acumular, ter, para então ser feliz.
Passei muito tempo tentando enxergar lá na frente, as vezes eu pressentia, a felicidade estava quase ao meu alcance na próxima esquina, mas quando eu chegava, ela já havia se mudado pra mais longe, então era preciso correr e me esforçar ainda mais.
Até que por estes dias, encontrei pelo meu caminho, seu Avelino, o pescador.
Nunca desejou as mesmas coisas que eu, felicidade pra ele sempre foi plantar, colher o almoço no quintal, acordar de madrugada, navegar no barquinho, voltar com meia dúzia de peixes, fazer a própria comida, e no dia seguinte começar de novo, vive assim há 85 anos.
De uns tempos pra cá, a doença na vista o impede de sair pra pescar, também de plantar e de colher. Mas ainda assim, ele abre a janela e um sorriso todas as manhãs. Nunca viajou, mas encontrou o seu paraíso.
É a casinha de madeira no alto da montanha e de frente para o oceano, em uma praia deserta de Peruíbe.
Dorme com os grilos, acorda com os passarinhos, é amigo das flores e dos animais, e diz que conhece plantas milagrosas.
Talvez alguém ainda ache que o pescador não tenha nada, sem investimentos em bancos, sem cartão de créditos e tão pouco celular.
Mas o que ele tem lhe basta, a felicidade agora pra ele é passar o dia assim a admirar a paisagem, dormir e acordar ao som do mar.
Seu Avelino não é diferente de ninguém, como eu e você, ele segue a vida, compõe sua história e vai tocando em frente.
Mas sabe que em qualquer tempo e caminho qualquer um de nós, carrega em si "o dom de ser capaz de ser feliz."


(Rosana Valle - TV Tribuna)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 06/2011.


terça-feira, 10 de junho de 2014

"Quão longe se pode ir"

"Apenas aqueles que se arriscam a ir muito longe, possivelmente, conseguirão descobrir quão longe se pode ir."

(T. S. Eliot)


Foto tirada no Pico do Jaraguá
Foto tirada no Pico do Jaraguá, SP, em 08/2013.


"Abraço" - Da série 'Um lugar, uma história'

Em inglês, italiano, turco, alemão, as formas de escrever e de pronunciar são diferentes, mas o gesto, esse é universal, abraço. Simples e democrática forma de comunicação, melhor que qualquer discurso ou elogio, abraçar é usar as mãos e os braços para nos aproximar do outro.
Manifestar o que é preciso, sem dizer nada. Fazer uma declaração de amor, de amizade, de consideração.

Há muitos tipos de abraço, todos valiosos. Há abraços que dizem "você é como um irmão"; "conte comigo"; "eu posso lhe proteger"; "parabéns, estou orgulhoso de você". Há abraços fortes, suaves, abraço de mãe, abraço tamanho família, abraço que amassa roupa. Desses assim que o Caetano gosta de mandar.

Seja qual for o sentido ou a intenção, a medicina comprova, para as doenças da alma, do coração, o abraço cura mais que remédio. E não tem contraindicação. Libera uma substância chamada ocitocina, também conhecida como o hormônio do bem-estar. Aumenta a felicidade, baixa os níveis do stress, diminui a pressão arterial e a ansiedade. Assim é estar tão perto de alguém num abraço, é muito saudável.

Então, se o abraço faz tudo isso, já pensou se em vez de brigar no trânsito, de se zangar com o colega do lado, de virar a cara envergonhado, fingir que não viu, você sair por aí disposto a dar mais abraços? Se faltar coragem comece com as crianças, depois abrace os que já viveram o suficiente para entender que em vez de muros é preciso construir pontes entre as pessoas

Abrace os amigos, os colegas de trabalho, até que um dia você vai perceber, talvez não tenha mudado o mundo, mas o ambiente ao seu redor ficou mais leve. Por causa dos abraços que você deu e recebeu de volta.


(Rosana Valle - TV Tribuna)

Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 06/2011.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

"Você está apaixonado?"

"Não há idade para se sentir apaixonado. É um presente ou um tormento que pode atingir a todos seres humanos. Bom ou ruim? Isso é com você!"

(Sandra Cecília)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 09/2013.


"Qualquer forma de amar vale a pena?"

"Cada um tem o amor que merece e a solidão que necessita. A felicidade no amor depende de vários fatores. Algumas pessoas desejam se casar e conviver todos os dias com a pessoa amada. Querem formar uma família e ter filhos. Outras preferem uma relação mais informal como morar junto.

Outros relacionamentos são diferentes, mas nem por isso, com menos amor. Preferem encontros ocasionais e se sentem felizes assim.

Casais apaixonados se encontram dentro de um quarto de motel. Vivem um amor que jamais poderá ser visto à luz do dia, porque é secreto.

Outros relacionamentos são apenas virtuais. Convivem apenas com e-mails, cartões e chats. Esse amor diferente conta com o bate-papo virtual, imagens da web cam e a imaginação. Algumas pessoas se sentem felizes, apenas vivendo um amor virtual. Até quando? Não se sabe.

Outros casos sobrevivem às custas de telefonemas longos. Basta ouvir a voz do outro e saber como ele está. Contar com esse amor quando se está triste, nervoso ou desiludido. Não se manifesta o desejo de viver esse amor em plenitude, olho no olho. Vivem mergulhados no sonho de amor à distância.

Alguns casais vivem seu amor dentro de um salão de baile no ritmo do bolero e do samba. Não precisam de encontrar todos os dias e nem dividir as mesmas contas ou os mesmos problemas. Querem apenas o lado light do amor no cenário da música.

Se você vive um amor diferente das regras pré-estabelecidas pela sociedade faça um profundo exame de consciência. Sente-se feliz amando dessa forma? Ou vive à espera de que o outro se declare, lhe peça em casamento ou marque um encontro? A ansiedade vive nesse relacionamento? Se for assim esse relacionamento diferente não serve para você. Procure a forma de amar em que se sinta correspondido em seus anseios.

A frase mais sábia nos casos de amor é:

"Um relacionamento tem que estar bom para ambas as partes."
É assim que se mede o termômetro do afeto. Avalie como estão suas emoções. O amor em plenitude traz felicidade e emoções positivas. A palavra sacrifício, renúncia não deve existir num relacionamento amoroso seja qual for.

Ele tem que fluir espontâneo como um rio que contorna os obstáculos, mas não sacrifica sua nascente pura e límpida."


(Sandra Cecília)


Foto tirada na Chapada Diamantina
Foto tirada na Chapada Diamantina, em 01/2013.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

"Crônica - Romantismo"

"Quem aprecia as coisas boas da vida, geralmente é romântico. Ser romântico não é apenas o gesto de presentear ou falar palavras belas. Ou mesmo fazer cantigas românticas e poemas brilhantes. Ser romântico é ter um coração sensível. Ele deve ser sensível ao sofrimento humano, mas sem ressaltá-lo. Ser romântico é apreciar as coisas boas da pessoa amada. Como se colocasse óculos com lentes especiais. O romântico está atento à vida real, mas só aprecia o que é belo e vê o belo nos outros.
Aprecie o ser amado todos os dias. Viva com a pessoa amada um dia de cada vez. Todos os dias você precisa refazer a conquista. Conquista espontânea. Esse romantismo tem alma de criança! Romantismo envolve criatividade! Envolve generosidade de fazer feliz o outro sem pretensão, mas simplesmente pelo prazer de fazer feliz o outro."


(Sandra Cecília)


Foto particular
Foto tirada de um antigo  papel de carta.



quarta-feira, 4 de junho de 2014

"Mereço o melhor"

"Quem vive de migalhas é pombo.
Eu quero o completo, o inteiro, o pleno...
Eu quero o melhor, porque sei que mereço."

(Freiheit)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 01/2014.



Foto-mensagem: "Pressa"

(José Saramago)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 06/2011.


terça-feira, 3 de junho de 2014

"Humildade é a verdade"

Não é se menosprezar ou se humilhar, mas conhecer suas reais capacidades e limites. Sem ilusão. Aquilo que é, é! Aquilo que não é, não é!
Otimismo é uma coisa. Viver na mentira e na fantasia é outra. Desejar sucesso no comércio é uma coisa. Ter aptidão para tal é outra. Se não sabe nada sobre comércio, batalhe e aprenda.
Não acredito no sucesso pautado no egoísmo. Passar por cima das pessoas para obter o que você quer é muito nocivo. A princípio pode dar certo, mas fatalmente colherá a intenção de prejudicar outrem intencionalmente em nome do seu sucesso.
Um jovem de 26 anos quer ser rico e bem sucedido. No entanto, já abandonou duas faculdades e um bom emprego. Desanima depois de algum tempo. Agora, desolado, procura a psicoterapia para saber porque tudo dá errado em sua vida. A vida não está errada. O jovem estudante é que está desorientado e sem rumo. Falta direção.
A fortaleza psíquica ajuda na batalha pela vitória. Visão objetiva. Capacidade de sínteses. Bom humor. E muito trabalho. Muito mesmo! Tudo o que você vê a sua volta é fruto de ideias, mas muito trabalho.
Nunca fale que está pronto. Há sempre mais a aprender. Saiba ouvir os mais velhos e os experientes. No entanto, separe o comentário positivo do palpite inútil. Vá sempre pela sua cabeça.
Aceite sua inveja. Invejar um colega bem sucedido nem sempre é ruim. Pode incentivá-lo. No entanto, não deseje o que ele tem. Isso vai gerar mais inveja e raiva. Deseje e lute para ter a capacidade que ele adquiriu com esforço próprio. Ele pode ser um modelo ideal para você. Saiba trabalhar os sentimentos negativos. Assim, eles se transformarão em algum produtivo.
Disciplina. Organize seu tempo. Pesquisei várias pessoas bem sucedidas. Descobri que, a maior parte delas é muito ocupada. No entanto, fazem muitas coisas ao mesmo tempo. Sabem delegar tarefas e, também, têm organização e capacidade de concentração.
Não se faça de vítima. Não se queixe. Pondere sempre. A vitória está na capacidade de realização e não na crítica. Quem somente critica, nada realiza!
Confie em você! Batalhe! Persista!
Se você é realmente talentoso e trabalhador, a vitória é certa, é sua!
Mas o que você quer realmente? Sucesso?Fama? Ajudar as pessoas? Ser feliz?
O objetivo final é que vai reger sua vida.
Lembre-se que, "o sucesso é ser feliz" - já dizia um grande autor de best-sellers, Roberto Shinyashiki.
Completo a frase: O sucesso é ser feliz naquilo que se faz!


(Luiz Gasparetto)


Foto tirada em Abadiânia
Foto tirada em Abadiânia, em 03/2014.



segunda-feira, 2 de junho de 2014

"Felicidade"

Se felicidade tivesse gosto...
Teria gosto de bolo de chocolate. Quentinho na hora!
Se tivesse aroma...
Cheiro de jasmim. Violeta. Ou seria de rosas?
Se a felicidade fosse uma paisagem...
Seria uma praia de mar azul translúcido. Sem ondas. Calma. Placidez. Paz.
Se a felicidade fosse um animal...
Seria uma águia, portentosa, deslizando pelos céus, completamente livre. Olhar agudo. Esperto. Ágil.
Se a felicidade fosse uma criança...
Seria uma criança esperta, de cabelos escuros como o ébano e olhos de azeitona.
Ou de lindos cachinhos dourados. Olhos azuis. Vivos. Dois pedaços do céu. Ar maroto.
Se a felicidade morasse em meu coração...
Teria todos os sentimentos abrigados em mim.
Se a gente pudesse pegar a felicidade...
Seria um belo gatinho felpudo e macio.
Se a gente pudesse ver a felicidade...
Seriam lindos flocos de algodão cheios de magia.
Se a felicidade fosse o dia...
Seriam um dia de sol! Sol da manhã escorregando pela minha janela de cortinas zuis.
Se a felicidade fosse a noite...
Seria noite enluarada, rodeada de estrelas piscando no firmamento.
Ah, se eu pudesse correr atrás da felicidade...
Seria uma lebre a me espreitar, viva de olhos espertos, vermelhos. Quem sabe a pegasse na relva molhada.
Eu quero. Busco. Procuro. Corro atrás da felicidade...
Será que ela corre de nós? Será?
Se a felicidade fosse o Amor...
Seria um casal jovem abraçadinho dentro de um cinema. Comendo pipoca. Rindo de uma comédia.
Seriam amantes vigorosos rolando na cama. Lençóis de seda. Macios. Cheirosos.
Quem sabe, um casal de meia idade, relaxados, trocando longas lembranças...
Se a felicidade fosse Boa Ação...
Seria alguém chegando de mansinho numa calçada cinzenta. Acolhendo uma criança sujinha. Agasalhando um velho enfermo.
Se a felicidade fosse um bebê...
Seria um gorduchinho, engatinhando atrás de bolas coloridas. Balbuciando sons. Expressão de êxtase. O próprio milagre da criação.

Felicidade...

Você sabe onde ela está? Onde a procuro? Nos meus sentidos? Nos meus infindáveis pensamentos? Nas minhas atitudes infantis? No meu raciocínio maduro? Nas minhas lágrimas? No meu sorriso?

Ah... sim! Eu não preciso procurar a felicidade. Ela simplesmente vem... num fugidio momento de paz!


(Sandra Cecília)


Foto tirada em Lambari
Foto tirada em Lambari, MG, em 03/2014.



Foto-mensagem: "Tempo"

(Charles Chaplin)


Foto tirada em Caraguatatuba
Foto tirada em Caraguatatuba, em 01/2014.