Crédito das fotos: Karen R. Igari

Crédito das fotos: Karen R. Igari

terça-feira, 24 de maio de 2016

"O sofrimento poderá ser bom, se for do tipo certo"

 "Enfrentar as emoções negativas" pode ser muito difícil. Não é fácil enfrentar nosso sofrimento, nossa maldade e nosso ressentimento. Não é agradável. Mas, mesmo que seja difícil enfrentar nossas mágoas, isso também cura. Por isso, neste sentido, o sofrimento pode ser uma coisa boa.
  Mas não quero dizer com isso que o sofrimento em si seja bom. Acontecem coisas ruins que não são boas de modo algum. Se você sofreu abuso, não há como isso ser bom. Deus é solidário com você em qualquer situação que o faça sofrer. Mas o que estamos falando aqui é diferente. Diz respeito a enfrentar coisas que já estão dentro de você.
  O sofrimento que cura não é como a dor original. É um tipo diferente de sofrimento. Se você passa por uma experiência e sai ferido, isso é inevitável. Mas, se enfrenta o tipo certo de sofrimento - o segundo sofrimento que cura - você enfrenta a sua dor e a elabora. O evento que o faz sofrer é o primeiro sofrimento. Lidar com a dor que o evento lhe causou é o segundo sofrimento. E é esse que cura. Então, seu sofrimento acaba. Esse sofrimento intencional é o único tipo de aflição que põe fim ao sofrimento. Tristeza, confissão e perdão, tudo isso faz sofrer como um tratamento dentário. Mas, assim como esse tratamento, eles acabam com a infecção e a dor, e você fica mais saudável e mais forte depois do procedimento.

(Dr. Henry Cloud, in: O Segredo de Deus, pp. 100 - 101)

Foto particular - KRI: foto tirada na Bahia
Foto tirada na Bahia, em 01/2015.